• TEL: (54) 3231.7800 | 3231.7828 (PEDIDOS DE MÚSICAS)

Agora seremos oposição, diz Tarso Genro após derrota

 Agora seremos oposição, diz Tarso Genro após derrota
Digiqole ad

Tarso Genro (PT) reconheceu a derrota nas urnas às 18h45min, horário no qual falou por menos de dois minutos pelo telefone com o governador eleito José Ivo Sartori (PMDB). O petista parabenizou a vitória do adversário e deu o primeiro sinal para o que prometeu ser uma transição de “alto nível”: assegurou que colocará à disposição do futuro governante todos os servidores e informações necessárias para o processo, que será coordenado pela Casa Civil.

Após acompanhar a apuração na ala residencial do Palácio Piratini, Tarso deixou o prédio que abandonará definitivamente em 1º de janeiro assim que a primeira parcial do resultado presidencial foi divulgado. Entre os aliados, o clima era de festa pela reeleição de Dilma Rousseff (PT), espantando a aura de derrota na disputa estadual.

— Não era para nós ganharmos. Trabalhamos até o último minuto confiantes na possibilidade de uma virada, mas está demonstrado que a maioria do povo gaúcho queria mudanças, e essas mudanças corresponderam a essa votação — disse o atual governador.

No primeiro pronunciamento oficial após o resultado deste domingo, Tarso agradeceu aos partidos da coligação, à coordenação de campanha e à militância. Durante a fala, foi interrompido pelo ex-governador Olívio Dutra (PT), que lhe falou ao pé do ouvido. Depois, externou a fala:

— Agora nós seremos oposição — relembrou. — Trataremos esse governo com respeito. Na Assembleia Legislativa, todos os projetos que forem enviados e que entendermos que são ?positivos para o Rio Grande do Sul, vamos apoiar, se estiverem de acordo com a visão que representamos. Obviamente, não vamos apoiar projetos que possam voltar nas políticas sociais que desenvolvemos.

Com 1,4 milhão de votos atrás de Sartori, Tarso evitou elencar o que faltou para se credenciar a um segundo mandato no Estado que nunca reelegeu um governador. Preferiu avaliar a vitória da oposição e disse não acreditar que o sentimento antipetista tenha sido determinante para o resultado das urnas.

— A candidatura oposicionista se apresentou com um discurso político, uma visão de mundo e uma visão de futuro mais adequada com a conjuntura estadual e nacional — apontou.

O petista entrega o Palácio Piratini a Sartori em 1º de janeiro. Sobre o futuro, preferiu não se comprometer quando questionado sobre um possível cargo no governo Dilma.

— Primeiro vamos terminar o nosso governo integralmente. Acolher a transição não siginifca mudar linha de governo, significa facilitar que o próximo governo imprima a sua própria linha. Depois desse processo, vou continuar sendo o que fui toda a minha vida: um militante político.

Do comitê de campanha na Avenida Venâncio Aires, em Porto Alegre, Tarso seguiu para a festa da reeleição de Dilma no Largo Zumbi dos Palmares, onde centenas de militantes embandeirados lhe aguardavam em clima de vitória. Em discurso inflamado, afirmou:

— Não passarão por cima de nós para acabar com as conquistas populares. Não pensem que vão levar de barbada.

O candidato derrotado nas urnas ainda disse que a oposição esperava lhe ver triste. Respondeu, com um sorriso:

— Olhem como estou triste, companheiros.

 

Crédito: ClicRBS

 

Digiqole ad

Relacionados

Open chat